A completar 20 anos de existência e reconhecimento no mercado, a Express Gest, é uma empresa de administração de condomínios. O sócio-gerente e responsável máximo, Eduardo Carvalho, revela à NM Matosinhos, a notoriedade da empresa, à qual grande parte dos clientes se mantêm ligados há mais de 10 anos.

Notícias Matosinhos: Antes de mais como é que começou a Express Gest?

Eduardo Carvalho: Nós começamos em setembro de 1998, a Express Gest celebra este ano, o seu 20º aniversário, embora eu já tenha mais de 30 anos de atividade.

NM: Qual a principal atividade da empresa?

EC: A atividade principal é a administração de condomínios, mas também há outras áreas dentro dessa atividade, nomeadamente, a manutenção e temos um serviço muito precioso na gestão de condomínios, para além da manutenção preventiva, que é o serviço de eletricista, que é muito solicitado.

NM: O que é a manutenção preventiva?

EC: Entendemos por manutenção preventiva toda a nossa atuação no sentido do condomínio não perder valor. Ao criar-se um plano de manutenção, onde estão previstas as visitas de verificação, e onde desde logo, passam a ser programadas todas as substituições dos componentes que apresentem desgaste. Logo, as avarias reduzem substancialmente, promovendo um impacto no Cliente muito pouco significativo. Sendo certo, que este tipo de atitude por nós levado por diante, para além de prolongar a vida dos equipamentos, reduz a degradação, acabando por se conseguir um melhoramento significativo no estado técnico e operacional dos diferentes equipamentos presentes no condomínio. Este tipo de manutenção é solicitado a todos os Fornecedores que prestam serviços sobre as nossas orientações.

NM: Qual o objetivo e a missão da Express Gest?

EC: A nossa missão é prestar um serviço de acordo com as necessidades do Cliente, com o objetivo de garantir a qualidade e satisfação nos serviços prestados, sempre respeitando o preâmbulo legal previsto para a nossa atividade.

NM: Onde é que a Express Gest atua?

EC: Nós estamos no Grande Porto, mais concretamente na cidade de Matosinhos e na cidade do Porto, embora tenhamos também alguma atividade em Vila Nova de Gaia.

NM: O que diferencia a Express Gest das outras empresas dos setor?

EC: O que nós sempre procuramos é estar voltados para o cliente, onde privilegiámos o contacto pessoal, onde a presença permite uma relação direta com as pessoas. Só neste modelo podemos oferecer um serviço de qualidade, indo ao encontro das expectativas e necessidades do Cliente. De um modo sucinto, estamos essencialmente atentos à segurança das pessoas e bens, promovendo a inovação, nunca descorando o rigor. Completamos esta nossa atuação oferecendo ao Cliente informação detalhada e atempada, onde destacamos os nossos Relatórios de Contas e preocupamo-nos em acompanhar e dar resposta às diferentes solicitações provenientes dos Clientes, em tempos assentáveis. “Tempos aceitáveis”, quando a demora média das respostas às solicitações é a desejada pelo Cliente. Esta aceitação é analisada através de inquéritos que vamos apresentando aos nossos Clientes.

NM: Portanto colocam o cliente sempre em primeiro lugar.

EC: Sim, objetivamente, o cliente sempre em primeiro lugar.

NM: Qual o grande desafio na sua opinião que uma empresa deste setor acaba por ter?

EC: O grande desafio é a capacidade de aceitar uma aprendizagem contínua. Onde não podemos descorar a importância da formação dos nossos elementos que compõem a nossa equipa de trabalho, nas diferentes áreas de atuação na função da administração de condomínios. Só assim podemos responder às necessidades que o mercado vai apresentando ao longo dos tempos. Um outro desafio, é que o condomínio regista a presença do Ser humano, logo uma dificuldade acrescida para a nossa atuação. Isto porque, as crenças, os valores, as atitudes e porque não as expectativas de cada Cliente (pessoa) de per si, são inevitavelmente diferentes. Fazendo com que a nossa atuação incida na isenção, clarificação e rigor, este o maior desafio de sempre.

 NM: A empresa costuma estar presente nas reuniões de condomínios?

EC: Sim, prestamos todos os esclarecimentos; a nossa gestão de condomínio é chave na mão. A expectativa é que o Cliente entre e saia do seu condomínio e não se faça notar qualquer tipo de incómodo. O que lamentavelmente nem sempre acontece.

NM: Que responsabilidades deve ter um condómino?

EC: No essencial o condómino deve ser um excelente promotor da boa vizinhança, fazendo enquadrar as suas relações quotidianas no bem-estar. Claro que é ao Condómino que compete conhecer as regras que foram em devido tempo aprovadas, onde genericamente se apresentam num documento chamado “Regulamento do Condomínio”, onde a substância e a forma derivaram de uma unanimidade atingida num determinado momento do condomínio. Contudo não se pode ignorar todo o preceituado legal em vigor. Em suma, de um modo geral a Sua presença na Assembleia Geral, órgão de maior competência na administração do condomínio, e, porque não a leitura atenta da ata que resultou da assembleia geral acabam por promover a capacitação do Condómino conhecer todas as suas responsabilidades. E, por último não podemos deixar de focar a responsabilidade do condómino em dar cumprimento à regularização das quotas de condomínio devidamente aprovadas. Isto porque, sem elas nada se pode fazer no condomínio.

NM: A Express Gest trata diretamente esta questão?

EC: Claro que sim. Numa primeira abordagem reunimos os meios ao nosso dispor para chegar junto do Cliente, através do telefone, e por escrito, para recordar, o atraso na regularização das quotas do condomínio, é neste momento que passarmos a ter a perceção do porquê do não cumprimento atempado. Nesta intervenção ou se resolve a problemática e dá-mos por concluído o processo, ou será necessário dar continuidade ao processo e aí forçosamente sai da nossa alçada e parte para o contencioso, que é tratado quer por Advogado, quer por Solicitador de Execução.

NM: Que conselhos práticos daria para uma boa gestão de um condomínio?

EC: Promover junto do Cliente, que é na assembleia geral de condóminos, onde os proprietários são chamados a participar, sendo esta o órgão de administração mais importante no condomínio, que lhe compete as decisões de maior responsabilidade; e à administração do condomínio, na prática, compete o executar as decisões tomadas. Logo uma assembleia geral devidamente estruturada e conduzida promove aquilo a que chamamos de uma gestão e administração do condomínio realizada com o objetivo de cumprimento do dever assumido.

Categorias: Entrevistas